Pages

8 de março de 2016

"...e assim se passaram 'três' anos..."

"sem eu ver seu rosto.
sem olhar seus olhos..."

Dani e Ricardinho na formatura de Júnior

Essa música muito antiga, composta por Emilinha Borba, e (re)gravada com sucesso por Gal Costa há muitos anos, descreve um pouco do que sentimos hoje..

Nossos dias 8 de cada mês nos remetem a lembranças mil.

Nossos dias 8 de março nos leva a um pedaço do nosso universo onde, além das lembranças mais que vivas em nossas memórias, somos revestidos numa saudade que dói...

Entretanto, hoje, especificamente, não estamos sangrando em dores. Estamos sim, sentindo a alma abraçada numa saudade morna, macia, perfumada... 

As lágrimas até vem... Mas elas deságuam em nossos olhos vindas de corações cheios de gratidão!

Agradecer a Deus pelo presente de ter convivido com Ricardinho tem sido hábito aprendido a duras penas, a grandes dores.

Mas como é ruim sentir dor o tempo todo!!!
Lourdinha, Rica e Bastinho no casamento civil de Rica e Dani

Talvez por isso nosso instinto de sobrevivência, de grande tentativa de boa sobrevida sem ele aqui, talvez isso tudo faça prevalecer uma grande tentativa de bem-viver.

Temos vivido dias bem difíceis, com novas e grandes jornadas! E como temos lições de Rica!

Como as experiências de  tempos atrás tem nos guiado nesses caminhos d'agora...

Como o legado que esse menino nos deixou tem nos norteado vida afora...

Agora deixe-me falar direto a você, filhote: há ocasiões em que vejo sua luz a nos guiar em dias cinzentos. Há situações em que basta fechar o olho e sinto suas asas de anjo a fazer cócegas na alma. E como provar que, se eu me concentrar, ouço sua gargalhada e sinto seu abraço apertado, aconchegado, caloroso?...

Eu lhe imagino agora, sorrindo largamente e ouço você: "essa minha tia só pode ser doidinha!" kkk... Em tempo, vc e Serginho nunca me chamaram de tia! E ainda sofro por isso! kkk. 

Ah, já ia esquecendo. Sou Suzana, tia Suzana, que já deixou registrado aqui nesse blog, muito do que foi experenciado no processo de luta de Ricardinho. Então o que escrevo aqui é muito do que todos sentimos, mas é tudo muito particular do meu sentir. Dani, Bastinho e Lourdinha sempre me confiaram, sem restrições, esses registros. Eu me sinto honrada por tamanha confiança. E agradeço muito por isso.

Escrever sobre o terceiro ano longe do nosso menino não é tarefa muito fácil. Mas deixo o coração ditar o que está aqui. 

E, embora um pedaço do coração de cada um de nós esteja com Rica, ainda sobra muito pra viver aqui, enquanto nos for permitido. 

Ainda vamos rir muito, chorar bastante, nos emocionar atééééé!!!... sempre que pensarmos em Ricardinho.

Afinal, como diz minha irmã Suerda: "Tem gente cujo coração é como se batesse dentro da gente. Eis um exemplo dessa 'éspécie'": Ricardo Vinícius Linhares Medeiros de Sá! Ou simplesmente Ricardinho, Zangado, Poroquinha, Rica, Guáxi, Ricardo de Dani, Cara de Fuínha...

Ou, mais simplesmente ainda, nosso anjo particular que mora no céu, ao lado do Pai. E que deve fazer muitas presepadas na sua morada definitiva. E que viveu tão intensamente aqui entre nós!
Ricardo e Sergio em Gramado/ RS

Beijo de luz pra você, Rica!

E todo nosso desmedido, imensurável amor.

Eterno.

Incondicional.

Amor na potência máxima!  

13 comentários:

  1. Viajei no tempo e vim bater aqui nesse santuário onde depositei meus momentos de intensa fé. Depois ficou difícil manter a mesma entrega, mas sigo lutando para manter um fiapo de crença.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eram momentos de muita esperança amiga.

      Excluir
  2. Ana de Santana, consegui restaurar e refazer minha fé, que havia se esgarçado, como pano velho...
    Hoje ela faz morada em minha vida, e é forte, firme, intensa e restauradora das minhas forças. Sinto Deus vivo no meu coração. Faço esse doce exercício diário de manutenção e fortalecimento da fé!
    Tomara esse seu fiapo de crença ainda se transforme numa corda forte que sustentará vc vida afora...
    Te amo, comadre!

    ResponderExcluir
  3. Sempre me emociono quando venho aqui, as lágrimas são impossíveis de segurar. Apesar de nunca ter deixado nenhuma mensagem aqui, acompanhei essa luta, rezei, chorei e senti uma tristeza imensa quando Ricardo retornou a casa do pai, fiquei por dias pensando na dor dos pais, da esposa, da família e dos amigos. Não é preciso conhecer, ou ser amiga para se compadecer com o sofrimento do outro. Que ele esteja em paz e Deus continue amparando vocês!

    ResponderExcluir
  4. E la se vão tês anos sem você filho amado. Na celebração desta data encontramos vários amigos seus, familiares que nos abraçavam e nos faziam sentir sua presença através deles. Agradecemos a todos, inclusive amigos que mantemos através deste blog, que apesar de não conhecermos pessoalmente nos confortam com doces palavras deixadas aqui. Somos muito gratos a todos os leitores e recadistas deste espaço. Beijos e abraços a todos.

    ResponderExcluir
  5. Ricardo e sua luta pela vida conseguiram tocar os corações de muitas pessoas... A fé e a esperança eram nossas companheiras constantes. Esperamos, sim, o milagre da cura. Mas Deus tb tem o direito de escolher os melhores para Si tb. E assim o menino se foi, para as moradas do Criador. Partiu, cercado de amor, levando consigo muitas das nossas orações. Com certeza, Ricardo viverá para sempre na nossa memória.
    Camila - de Ribeirão Preto

    ResponderExcluir
  6. Caros familiares e amigos,
    Buscando informações no google sobre bombas de infusão de quimioterapia, nas imagens me apareceu, se me permitem, o Rica! Curioso, vim ao site e me remeteu aos primeiros dias pós-trasplante. Acompanhei alguns outros dias e pelas palavras do diário e comentários, fui criando uma empatia pelo Rica. E bem, chegamos onde estamos. Mas sabe, sem conhecê-lo, ele nos mostrou que é preciso coragem pra enfrentar desafios com o que ele encarou. Mais que coragem, é preciso fé, bom humor e muito amor no coração para dar aos que sofrem juntos. A postura dele nos ajudou demais. A bomba de infusão a qual me referi, é pro meu pai. E neste momento de incertezas, ter como exemplo o grande Ricardo, nos fortalece a fé e nos faz acreditar que é preciso encarar, porque não há fim. Tudo é caminho e algumas partes, são uma passagem. Dolorosa, mas ainda uma passagem. Que Deus os conforte! Obrigado pela ajuda!

    ResponderExcluir
  7. É André Santos, nosso Rica foi um guerreiro. Lutou com todas as forças pela sua saúde fazendo o que achava que era certo para sua vida. Infelismente não foi como desejaríamos, mas vamos vivendo o resto de nossa missão na esperança do reencontro um dia na casa do Pai. Obrigado amigo, temos muito prazer quando alguém escreve aqui nesse blog. É uma maneira lembrarmos a existência de Ricardo.

    ResponderExcluir
  8. Três anos e dois meses da partida de Ricardo e hoje coincidindo com o dia das mães. Essas datas quando se juntam aumentam nossa saudade. Que falta você nos faz filho.

    ResponderExcluir
  9. Como vc é amado Ricardo. Vira e mexe eu lembro de vc!
    Com certeza estás ao lado Pai, isso conforta a todos.
    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  10. Como vc é amado Ricardo. Vira e mexe eu lembro de vc!
    Com certeza estás ao lado Pai, isso conforta a todos.
    Um grande beijo.

    ResponderExcluir
  11. Ontem foi o meu aniversário de 63 anos e três anos e sete meses da partida de Ricardo. Como sempre aquele misto de comemoração e sentimento de perda é saudade. Ao acordarmos a primeira lembrança foi para ele e eu e Lourdinha choramos bastante. No resto do dia recebemos alguns familiares e amigos para nós confraternizarmos. Nesses dias as lembranças são acentuadas pelo fato dele adorar uma comemoração. Beijos filho, te amaremos eternamente. Beijos também para os leitores e recadistas deste blog.

    ResponderExcluir