Pages

8 de março de 2015

Dois anos! Tempo relativo...

Ai, que assustador!

Parece que é a primeira vez que escrevo aqui...

Estou desacostumada, perdi a mão?...

Vejamos.

Dois anos! E a relatividade do tempo se faz provar...

Hoje, por exemplo, as lembranças fazem com que pareça que tudo aconteceu há poucos dias...

Todas as imagens e situações vividas naqueles dias estão muito nítidas na nossa memória...

E hoje está atípico: não estamos juntos, reunidos, família e amigos, como sempre fizemos ao longo da nossa vida e desses dois últimos anos.

Aprendemos que o tempo é senhor absoluto de todas as coisas, que ele cura tudo. É bem verdade.

Mas tem uma coisa que o tempo não sana. Aliás, ele só faz aumentar com o passar dos dias, meses, anos... A saudade!

E nesse 8 de março, quando todo mundo comemora o Dia da Mulher, nós também celebramos o Dia Internacional da Saudade...

Tudo que nossa emoção clama hoje é por um sorriso de Ricardinho. 

Uma boa conversa (daquelas bem sérias, que ele conduzia tão bem! Ou divertida e alegre como sempre terminavam esses momentos de fala-fala, rsrs).

Ou ainda, desejo maior de todos, aquele abraço longo, aconchegado, que fazia nossas almas e corações se sentirem acolhidos...

Difícil aceitar (e falo por mim) que não estaremos mais juntos nessa vida... Hoje estou muito cheia de perguntas sem reapostas...

Mas espero, sinceramente, que essa onda de questionamentos passe logo.

E que voltem apenas as lembranças tão boas, as lições tão bem dadas por ele e, na medida do possível, aprendidas e apreendidas por nós...

A garra com que Ricardinho viveu cada conquista.

A alegria que irradiava em quaisquer situações de leveza.

A luz que emanava pelos olhos apertadinhos, mas que eram grandes janelas da sua alma tão clara!

As intensas formas de festejar a vida no carnaval, Festa de Santana, formatura de amigos, encontros animadíssimos em casa...

A seriedade com que conduzia o trabalho, fazendo com que, tão jovem ainda, conquistasse cargos de 'mais velhos', rs.

A disciplina nos estudos, seus e de quem ele amava, cobrando de si e de todos, mais um pouco de tentativa.

O imenso amor que fazia parte de si e que ele doava a quem se chegava a ele.

A determinação com que conduziu a doença (adrenoleucodistrofia), tentando,de todas as formas, se ajudar e ajudar aos outros portadores da ADL-X, numa possível descoberta de cura.

Enfim, é nos apegando nessas lembranças que vamos tocando nossas vidas aqui, até cumprirmos nossas missões. E não me refiro a apego doentio, que possa atrapalhar nossas vidas ou a dele. São apegos suaves, sabendo que agora as vidas são diferentes, as nossas e a dele...

Mesmo nos momentos mais difíceis que ainda temos, sempre procuramos respeitar essa sua nova forma de vida, no plano espiritual em que ele vive agora. Não é fácil, mas tentamos.

Tentamos e esperamos nos reunir outras vezes pra celebrarmos a vida, com preces, alegrias, abraços, emoções, brindes, lágrimas, música... Como sempre foi. E voltará a ser (esse ano estamos respeitando alguns de nós, que não estamos muito prontos pra esses encontros).

E no nosso próximo CELEBRAR A VIDA, faremos juz ao que isso realmente significa!

E vc, Rica, Ricardinho, Cadim, Poroquinha, Zangado, Môzão, verá, mais uma vez, através da luz em que se transformou, e de onde estiver, que vc continua fazendo parte de nós e da nossas vidas... Será sempre assim. Vc sente isso, como sentimos vc bem...

Quanto a mim, filhote, sabe que amo vc - como os outros sobrinhos - com um amor que se assemelha ao amor de mãe...

Amo você incondicionalmente!

Amo você para sempre...

E não há medida pra esse amor.

Beijo de luz pra você, de titia Suzana.

12 comentários:

  1. Que lindo, tia Suzana!! o seu sentimento reflete o sentimento de todo mundo!

    ResponderExcluir
  2. Suzana, você como sempre usando as palavras certas em uma data tão marcante! Com certeza, Ricardo nos guia e ilumina na nossa vida terrena!
    Alexandre Morais

    ResponderExcluir
  3. Suzana, tia Suzana8 de março de 2015 18:10

    Gostaria muito de outras palavras, de maior conforto, mais resignadas e de maior aceitação... Mas hoje a saudade tá sangrando em meu coração e, infelizmente, não tenho palavras belas... De qualquer forma, obg Kléber e Alexandre, amigos dos melhores do nosso Rica!..

    ResponderExcluir
  4. Tenho uma satisfação imensa quando vejo uma postagem destas neste blog, bem como comentários de amigos/irmãos/familiares. É uma maneira de mantermos vivas as lembranças de Ricardo. Principalmente porque este blog foi uma criação sua. Vamos mantê-lo vivo. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  5. O tempo passa mas o legado de Ricardinho fica. Nunca será esquecido. Suzana como sempre nos emocionando com suas belas palavras. Abraços de paz e luz em você, no Bastinho e em todos os familiares de Ricardo.

    ResponderExcluir
  6. Dois anos e um mês da partida de Ricardo. Hoje quero registrar aqui um sonho que tive com ele de sábado para domingo passado. Estávamos na praia de Jacumã, na casa de Mica e Gleide, localidade onde passou muitos veraneios juntamente com a primarada. Foi o sonho mais nítido e real que tive com ele. Sonhei que estava deitado numa rede e havia uma cama onde eu via uma pessoa deitada e perguntava a Lourdinha: Quem está aí, e ela respondia: Ricardo! E ele dizia: pai, venha aqui! Então nós nos aproximamos dele e lhe demos muitos beijos. Como foi bom. Quando acordei ainda sentia o seu cheiro. Quero que esses sonhos se repitam. Dá para matar um pouco a saudade. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  7. Ontem foi o aniversário de Ricardo. Trinta e um anos de idade e dois anos e pouco em sua outra vida. Foi um dia de muita saudade. A noite saímos para jantar em família e comemorar a data. Quando estava entre nós sempre era um dia de muita festa inclusive com longos discursos que gostava de proferir. No jantar eu, Lourdinha, Sergio, Izany, Dani e Gabriela ficamos lembrando muitas histórias da vida dele. Siga em paz meu filho, que nós vamos seguindo por aqui até que chegue o dia de nosso reencontro. Abraços a todos os leitores e recadistas deste blog.

    ResponderExcluir
  8. Dois anos, três meses e alguns dias da partida de Ricardo. Estamos numa fase de lembrarmos muita coisa do tempo dele conosco. Quando ele começou a trabalhar, disse "pai, vamos trocar seu carro velho por um novo". Eu disse: compre um para você, esse me satisfaz. mas ele não se conformou. Trocou o carro. Como ele e Sergio passaram no mesmo concurso, mas foi chamado antes, disse a Sergio: "trocamos o carro de papai, eu pago a volta e quando você for chamado me paga a sua parte". E foi assim. Sergio ainda não estava trabalhando mas já havia comprometido parte do salário. Só Ricardo mesmo. Abraços a todos os leitores e recadistas deste blog.

    ResponderExcluir
  9. Dois anos e cinco meses da partida de Ricardo e não nos acostumamos com o vazio deixado por ele. Mas estamos tentando seguir com nossas missões aqui. Sabemos que ele de onde está hoje vela por nós. Mas a saudade é muito grande. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  10. Sr. Bastinho, espero que o sr. e toda sua família estejam bem, sei que sentindo muita falta do seu filho querido, mas vejo que estão lembrando os bons momentos que passaram com ele. Desejo de todo coração muita saúde, paz e harmonia para vocês! Bjs Márcia de Curitiba.

    ResponderExcluir
  11. Dois anos e nove meses da partida de Ricardo. E as lembranças afloram na nossa mente e a saudade toma conta de nossa alma. E nós aqui vivendo com essa falta presencial que ele nos faz. Ao nosso guerreiro desejamos paz na sua outra vida. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  12. Sr. Bastinho, que Deus lhe dê o consolo. Sua família é uma inspiração de amor.

    ResponderExcluir