Pages

Minha História

"Eu sou Ricardo Vinicius, tenho 28 anos, casado com a Dani. Em julho de 2011 me deparei com uma doença rara".

Descanse em Paz!

Família do meu Pai

Obrigado pelo Apoio e Carinho.

Ricardo e Sergio - Os dois tem Adrenoleucodistrofia

Sergio não sente nada, mas os Adrenais estão sem funcionar. Ricardo está com problemas motores.

9 de abril de 2014

1 ano e 1 mês...


Oi, leitores do blog.

Sou Suzana, tia de Ricardinho.

Volto aqui depois de um tempo sem escrever pra vocês.

Postei algumas vezes nesse último ano.

Mas o que me marcou aqui foram as vezes em que escrevi em Porto Alegre...

Nossa, já se passou um ano inteiro, mais que um ano inteiro... E não foram dias fáceis! Na verdade, foi o ano mais difícil das nossas vidas...

Todas as datas, das mais corriqueiras às mais significativas e importantes já foram vividas pós partida do nosso menino...

Gostaria de relatar pra ele, pra Ricardinho (e pra vocês que leem também), esses meses derradeiros passados...

Pois é, Rica, desde que você se transformou em anjo, bateu suas asas e foi morar no céu, que nossa vida se transformou...

Apesar do nosso coração sangrar em lágrimas por muitas vezes, mesmo com a saudade gigante que sentimos, tentamos aprender com o que você nos ensinou...

Hoje seus pais, Bastinho e Lourdinha, não moram mais na casa onde vocês cresceram. Sua mãe e sua tia Nena foram vítimas de um assalto violento lá... Exatamente quando fazia um mês da sua partida, no dia 08.04.2013. Levaram muitas coisas materiais e outras tantas de valor sentimental... Mas não tiraram dessa família o que ela tem de mais precioso: a força, a união e a vontade de seguir em frente, sempre!

Hoje eles moram num apartamento e estão vendendo a casa.

Serginho, seu irmão, casou! Isso mesmo! Ele e Izainy são casados agora! Numa cerimônia simples e linda, emocionante e divertida, com lágrimas de saudades suas e risos de quem está começando uma nova vida a dois, com as famílias e seus melhores amigos presentes, eles se tornaram marido e mulher.

Por enquanto moram com Bastinho e Lourdinha. Eles optaram por passar o maior tempo possível juntos, os quatro, pertinho uns dos outros, tentando reaprender a viver sem sua presença física, meu filhote... Vão ainda morar juntos por um tempo, até a vida dizer: já é tempo, pode ir pra casa de vocês, jovem casal...


Dani, sua esposa - e todos, nós convenhamos! - ganhou uma linda sobrinha, filha de Manú e Neto. Jasmim é a pessoinha mais linda, fofa, simpática, banguela, rsrs, querida e amada... Ricardinho, ela é o xodó de toda a família, aliás, de todos nós! Somos todos apaixonados por aquela gostosinha!.. Você ia arroxar muito ela... (cá pra nós, eu tenho muita vontade de apertar aquelas boxexas atééé ficarem vermelhas, arroxar ela atéééééé ela gemer... rsrs). Ela é uma anjo na vida de todos... Um bálsamo em forma de menina-boneca-florzinha em nossas dores e saudades... Estar perto dela, é estar mais perto de Deus, sinto isso...

Seu pai teve bem doente... Já está tudo bem, tudo já passou, mas foram dias muito difíceis... Uma inflamação no osso da bacia o deixou numa cadeira de rodas por um tempo. Eu, particularmente, acho que foi somatização de toda a dor, saudade e sofrimento por causa da sua partida. Ele sentiu tudo isso de uma forma muito intensa! Suas palavras "perder um filho é uma mutilação na alma" traduzem o que quero dizer... 

Mas não sofra por isso, meu filhote! Todos sabemos que sua missão aqui nesse plano foi cumprida e, mesmo com tristeza por não termos mais você fisicamente conosco, siga sua nova vida em paz... Sabemos que o propósito de Deus é maior que tudo que imaginamos, como disse Ana Santana. E isso nos conforta! Só não nos impede de sentir uma saudade imensa...

A gente costuma se reunir, como sempre fez, nas datas importantes... Fizemos isso esse ano também, várias vezes: na missa de sétimo dia celebrada pra você. Na de trinta dias, quando nos reunimos num almoço, em meio ao atordoamento do que tinha acontecido, da saudade, da tristeza, da alegria de poder juntar as famílias, de ver tantos, tantos amigos seus, Rica, a homenageá-lo, a contar histórias, a sorrir e a chorar... No dia das mães, quando celebramos também seu aniversário aqui na terra... No casamento de Serginho e Izainy, onde a emoção foi a palavra de ordem... Nos sessenta anos do seu pai, e aniver de Serginho... Tudo foi motivo de reunião, de confraternização, de lembrar, sempre!

Fora a Festa de Santana, padroeira de Caicó, terra natal de muitos de nós, de quase todos nós, morando lá, em Natal ou onde quer seja!
Você e a Festa de Santana sempre tiveram um "caso de amor" muito grande, num é vero? rsrs.

E o carnaval? Esse você não deixava passar em branco mesmo!!! Sempre brincou com toda alegria que um bom folião deve ter!!! Confesso que ver seus amigos lá, todos juntos e brincando, tentando isso sem sua presença, confesso que me emocionou muito, às vezes com lágrimas... E a mim, sempre ofereciam um carinho, uma cerveja, um abraço... Mas você é presença muito marcante entre Serginho, Júnior, Alexandre, Edmilson, Jorge... E tantos outros que não sei o nome... Não lembro de todos agora... Mas todos estavam lá... 

Outros amigos que lembram muito você, Ricardinho, são Diogo, Danny, Kleber... Todos esses, e muitos mais, são muito presentes, visitam sempre sua mãe e seu pai... Sempre! E com um carinho que comove... Eu sempre me emociono na presença deles...

Do trabalho tem Paiva (hoje Serginho trabalha com ele), conheci André Lucena (doce de pessoa!).

Nosso último encontro foi no dia em que fez um ano da sua partida. Houve um missa, celebrada lindamente pelo padre José Mário. Muitos amigos e familiares se juntaram para rezar, fazer preces, cantar... Tudo muito carregado de emoções, abraços, saudades... Depois almoçamos juntos, nos emocionamos mais ainda, mais abraços, risos, lembranças que o tempo não apagará. E uma saudade que torna você, filhote, muito vivo em nossos corações! O amor que foi vivido e espalhado por você nos faz acreditar que Deus foi muito generoso quando nos deu de presente sua convivência, seu partilhar de lições, sua inteligência que dividia com todos, sua alegria e intensidade em viver... 

E, além de tudo, ainda nos trouxe Dani e sua família tão querida!!! Família essa que nos ajuda muito a compreender todo esse caminhar. Todos são muito espiritualizados e partilham conosco um enxergar a vida além daqui... Dani é nossa querida, nossa menina que cuidou de você como uma mulher de muita garra!!!

Obrigada, Ricardinho, por tudo!!!

Simplesmente, obrigada!!!

Ser sua tia e ter podido conviver com você, desde sua infância até os dias em que 'morei' em Porto Alegre, me ensinou as mais nobres, doces, lindas, e duras lições que alguém pode ter nessa vida... E essas são lições preciosas, que me fazem aprender até hoje e por toda a minha vida...

Ter essa conversa aqui hoje com você é uma forma de lhe agradecer por tudo...

Amo você - e todos os meus sobrinhos - com uma amor que se assemelha ao de mãe! Como não tenho filhos biológicos, é esse o maior amor do mundo, pra mim!!!

Sigamos nossas vidas, nos planos que Deus nos coloca... E tentando entender Seus propósitos!

Bjo de luz pra você, meu filhote Ricardinho!


P.S.:
Apesar de todo entendimento que tentamos, por você e também por nós, é impossível não sentir saudade... Saudade gigante, imensa... E também saudade da esperança que tínhamos de que tudo fosse como esperávamos que fosse... Saudade da esperança é algo quase poético! E é isso que vejo nas entrelinhas das postagens desse blog, nos nossos tempos gaúchos...

Fiquemos todos com Deus!