Pages

Minha História

"Eu sou Ricardo Vinicius, tenho 28 anos, casado com a Dani. Em julho de 2011 me deparei com uma doença rara".

Descanse em Paz!

Família do meu Pai

Obrigado pelo Apoio e Carinho.

Ricardo e Sergio - Os dois tem Adrenoleucodistrofia

Sergio não sente nada, mas os Adrenais estão sem funcionar. Ricardo está com problemas motores.

9 de outubro de 2013

SETE MESES E MAIS SAUDADES...


Oi gente, boa noite! 
Sou Suzana, de novo! Tia Suzana, rs.
Dani, Bastinho e Lourdes me concederam a honra e o privilégio de estar aqui mais uma vez pra escrever nesse espaço tão importante pra todos nós.
Eu me sinto realmente, de verdade, honrada e privilegiada de estar aqui. Sempre me senti assim todas as vezes e sempre será assim. Pra mim esse lugar aqui, esse espaço é sagrado!
Tomara saiba dizer o que é realmente pra ser dito...
Quisera ter as palavras certas que esse blog, Ricardinho e vc que lê merecem...
Eu sempre falo aqui com vc que está lendo, que acompanha, ainda, esse blog.
Mas hoje eu gostaria de me dirigir à pessoa que criou esse espaço, fez tudo isso acontecer: Ricardinho. Vou falar com ele, se me permitem. Vcs e a espiritualidade.

Pois é Rica, passaram-se sete meses da sua partida...
Tempo! Como é difícil medir o tempo!
Como será aí, no plano que vc vive agora, a contagem do tempo?
Aqui a gente continua na luta, na tentativa de entender e aceitar resignadamente tudo que aconteceu... 
Vc faz uma falta, filhote!!!...
Mas todo o seu tempo passado aqui conosco foi de lições deixadas por vc. Sua vida terrena foi uma bênção pra quem teve o privilégio de conviver com sua pessoa.
Sua chegada, seu nascimento, foi uma espécie de 'complemento', digamos assim, numa família que já tinha Serginho... Vc era muito lindo, muito esperto, sapeca, divertido, tinha cara de 'fuinha'... rsrsrs. Nem sei ao certo o que é isso, mas que vc tinha cara de 'fuinha', ah, isso vc tinha!!! rsrs...
Seu crescimento foi acontecendo em meio a muitos acontecimentos Uns bons outros nem tanto... Seu pai teve sérios problemas de saúde, se submeteu a um transplante de rins, em São Paulo, há mais de vinte anos, numa época que transplante era algo assim como ficção científica... Esse fato mudou a vida de toda a família. Depois de seis meses longe de casa, ele e sua mãe voltaram e vcs tiveram que se mudar de Caicó pra Natal. Ele precisava de uma melhor assistência e acompanhamento que não tinha aqui. 
A vida seguiu, com vcs já totalmente adaptados à nova cidade.
Vcs sempre foram muito inteligentes, mas peço licença a Serginho pra falar mais de vc... Minha conversa hoje é com vc, seu Rica! rs.
Vc estudava muito, era sempre um dos melhores da turma, senão o melhor! Sempre!!! Mas, interessante, vc não só estudava... Vc tbm brincava (lembro de vc correndo muito com Buba, a cadela que vcs tinham. Vc rolando pelo chão com ela, enorme, linda, lindos!!!); ensinava aos colegas (sempre tinha gente pela casa, estudando, aprendendo); jogava vídeo game (nos finais de semana, quando vcs se trancavam no quarto na sexta à noite e só paravam no domingo... rsrs); fazia capoeira, fez surf (vcs inventavam muita coisa!); sempre gostou de música, como eu, rsrs (lembra do show dos Mamonas Assassinas que levei vc, Sergio e Jorge pra assistirem? Eu doida pra ir e usei vcs como desculpa, rsrs... A gente se divertiu muito, naquele show!); começou a namorar cedo, e muito!!! (tinha que fazer isso antes de se apaixonar por Dani, num era? Seus amigos diziam que vc pegava geral, rsrs); vc sempre foi um sedutor nato, conquistava todo mundo, seduzia com sua conversa inteligente, sua risada gostosa, seu jeitinho todo especial de tratar todos. E não estou falando só das meninas não! Sua conquista era generalizada: amigos, família, colegas, conhecidos... Seu encanto sempre fez parte do que vc foi aqui conosco e acredito que continua aí, onde vc está agora... 
Aí vc fez vestibular (passou no IFRN, antigo Cefet, pra Automação Industrial e na UFRN pra Engenharia Mecânica). Vc e Serginho passaram nos primeiros vestibulares que fizeram, os dois nos mesmos cursos... 
Nossa!!! Lembranças que correm na memória... Morar um tempo com vcs me ajudou bastante a ser uma pessoa melhor, as lições carrego vida afora comigo...
Bom, aí chegou a época de trabalhar, fizeram concurso, o primeiro e, mais uma vez, vc e Serginho escolheram igualmente...  E igualmente passaram no primeiro concurso que fizeram (Petrobrás, vc em primeiro lugar e Serginho em sexto). Ainda sinto orgulho quando lembro!!! Seu pai e sua mãe então... rsrs...
Depois de um tempo já trabalhando, vc apresentou os primeiros sintomas da ADL-X. E a partir daí, tudo está registrado aqui nesse blog que vc teve a feliz ideia de criar...

Ontem, dia 08 de outubro, fez sete meses que tudo mudou nas nossas vidas para sempre. Com sua partida, parece que foi arrancado um pedaço de cada um de nós... E foi mesmo! Impossível não sofrer ou chorar. A lição é árdua, dolorosa, difícil... Mas também temos que agradecer por vc ter sido parte (vc é parte!) das nossas vidas... Fiz as pazes com Deus! Desde que tudo aconteceu que eu estava com a fé abalada, com reservas sobre minhas crenças, com raiva mesmo! Peço que me desculpe, Ricardinho, e tente compreender nosso lado... Vc não teve culpa por eu sentir assim. Eu que, na imperfeição na condição de humana, fiquei com a fé esgarçada... Fiz um esforço muito grande pra me restabelecer espiritualmente. Esses meses todos (quase 6 meses) me senti como se estivesse num deserto, sem água e sem sombra... É muito ruim ficar assim. Mas, como lhe disse, fiz as pazes com Deus! Sei que Ele nunca me abandonou, nunca deixou de me mandar proteção de bons espíritos, nunca deu um dia de folga pro meu anjo da guarda! Falo eu, na primeira pessoa, mas isso se estende a todos nós, a cada um da família ou amigo que sentiu algo parecido. Ainda tenho muitas perguntas sem respostas, ainda há choro, ainda dói muito, a saudade é de matar!!! Mas a vida segue. Sempre repito isso: a vida segue! Aqui e aí aonde vc está agora... E fico pensando: o que será que vc sente? Sente saudade ou vontade de um abraço como nós sentimos, ou é diferente? Sua risada é igual? Sua alegria também contagia os outros anjos? Vc realmente encontrou nossa mãe, como achamos que encontrou? Já está adaptado à sua nova vida? Tomara que SIM seja a resposta pra todas essas perguntas!!! 
Mas não se aflija, Ricardinho, com nossas aflições... Elas serão sanadas, creio nisso. Só queremos que vc fique bem, que nossas lágrimas e dores não atrapalhem vc, combinado, filhote?...

Ontem foi o aniversário do seu pai. Nosso "gaudério" (termo do seu anjo gaúcho Angelo que lhe doava plaquetas, lembra? rsrs) agora é sexagenário, kkk... Vamos nos reunir esse final de semana que vem pra celebrar isso!!! Toda a família e amigos estarão lá pra abraçar seu pai e Serginho (que irá aniversariar dia 16)!!! Vamos nos divertir, como vc sempre nos ensinou, como sempre fizemos e fazemos! Será que vc vai dar uma espiadinha, heim? A gente acha que vc sempre dá um jeitinho de dar uma passadinha, rir um pouco... rsrs... Essa sua tia continua doidinha, né? rsrs. Ah! A propósito, gaudério é homem de fibra, forte e corajoso. Explicado por um  gaúcho cábra da peste e arretado, igualmente gaudério!
 
 Então é isso, meu filhote, nossa conversa hoje foi bem direta, bem "nós dois"... Sabia que lembro sempre do dia que vim embora de Porto Alegre? O dia em que nos vimos pela última vez? Do nosso abraço, do seu pedido pra eu não vir embora... E eu não lhe atendi...  Não pude atender... Isso às vezes me martiriza... Mas sei que, generoso como sempre foi,  vc me perdoou por isso! E da nossa última conversa, por telefone? Eu já estava aqui e vc ainda lá... Isso me conforta pq as nossas palavras derradeiras um pro outro foram: "Suzana, eu te amo!" e eu lhe respondi baixinho, emocionada: "também te amo, meu filhote...". Mesmo tendo passado a vida dizendo que lhe amava (fazemos isso, temos esse hábito que adoro, dizemos uns aos outros que amamos) ainda lhe digo isso muitas vezes... "EU TE AMO, MEU FILHOTE!!!". Pq nosso amor é eterno, incondicional, para sempre, irrestrito!!!

Fique em paz, filhote!