Pages

8 de junho de 2013

Três meses de muita SAUDADE...




Hoje faz mais um mês Mozão que estamos sem a sua presença física. Caminhar sem você continua sendo muito difícil...

Nessa última semana estive bastante gripada e fiquei acamada e quieta... E como dizia uma professora minha, "o silêncio traz barulhos"... Pois é, os barulhos que ouvi foram os mesmos de três meses atrás... Percebi que ainda me sinto da mesma maneira... Percebi que mesmos nos dias que eu acha que estava bem, no íntimo eu não estava... Percebi que não é nada fácil viver sem a pessoa amada... 

Por isso, vou transcrever a mensagem que escrevi para a sua missa de trinta dias 

Que Deus continue nos dando forças e muita luz para você Mozão...




"Oi Mozão...

Há dias tenho uma missão nada fácil, na verdade nos últimos dias as tarefas que tenho tido foram muito dolorosas, e de fato essa missão foi adiada por dois motivos: coisas práticas que deveriam serem resolvidas e pela minha “negação”, pois a realização dessa missão seria para mim uma concretização de que você já não está mais conosco, pelo menos não da maneira como gostaríamos.
Pensei nessa mensagem de diversas formas, tanta coisa para ser dita, para contar e relembrar, mas parece que as palavras fogem, evaporam.
Há quase trinta dias você partiu e me sinto ainda anestesiada, vivendo num mundo paralelo de sonho e/ou pesadelo, surreal; me pego pensando coisas do tipo: “Mozão vai adorar fazer isso ou quando eu mostrar isso a mozão ele vai ficar doidinho”. Sinto-me confusa. Quando estou em Natal, sinto que você ainda está em Porto Alegre aguardando meu retorno. E quando estive agora em Porto Alegre para resolver as pendências burocráticas, pensei: “agora a ficha vai cair, não vai ter mais como escapar, pois ele não estará mais no apartamento”. É, mas a ficha não caiu; a impressão era que eu estava preparando o nosso retorno para Natal, como muitas vezes tínhamos planejado.
Nesses dois anos e cinco meses de reencontro, namoro, noivado, casamento e nossa jornada em Porto Alegre, tenho sempre escutado se referirem a mim como uma guerreira, mulher admirável, anjo... Na verdade, não precisei ser guerreira para estar ao seu lado e viver o que vivemos. Faria tudo de novo. Acredito que a nossa história foi como foi, porque éramos Eu e Você, pois se eu sou o anjo da sua vida, você é o da minha. De fato, a mulher guerreira que tanto ouvi, vou precisar ser agora para continuar nessa existência sem você, para seguir adiante com nossos planos sem você. Sei que não vai ser fácil, já não está sendo. Os questionamentos sempre veem, os “ses”, “os porquês”, mas eu vou saber aceitar a vontade de Deus como rapidamente você aceitou. Até nessa hora você nos ensina. Mozão você tinha razão, você é mais evoluído que eu.
Tínhamos planejado muitas coisas, muitos sonhos, desejos, vontades, mas não sabíamos que nossos planos acordados anteriores a essa existência eram muito diferentes dos atuais. Nós queríamos uma “vidinha normal”, casar, trabalhar, ter filhos e construir uma família boa e feliz; mas parece que nossa missão era muito maior que isso, muito maior que uma vidinha normal. Na verdade, a nossa história nunca foi nada “normal”, quem nos conhece sabe disso. Sempre tive a certeza de que deveríamos estar juntos nessa caminhada, estava escrito, como as pessoas falam. Ás vezes, quando quero aliviar a minha dor, lembro-me das inúmeras palavras ditas por várias pessoas conhecidas e não conhecidas, sobre como a nossa história os tocou de alguma maneira, de como mudaram algumas atitudes, de como o seu exemplo de alegria e força os inspirou... Aí penso que conseguimos realizar nossos sonhos, talvez uma parte deles... Penso que nossos filhos foram todas essas pessoas, que agora, a partir do seu exemplo de força, fé e amor aprenderam a olhar a vida além do horizonte. Penso que o nosso trabalho não era na área de engenharia ou psicologia, e sim mostrar que o amor, a resignação, a alegria, e a vontade de buscar e ir atrás pode tudo.  
Essa era sua missão, semear e disseminar sentimentos bons em todos que tiveram a oportunidade de ter você por perto. Fazer isso só com nossos filhos era muito pouco pra você, sua missão era muito mais grandiosa. E eu agradeço a Deus por ter tido a oportunidade de estar ao seu lado na sua missão e fazer parte dela. Agradeço por ter podido ter você em casa comigo por um tempo, mesmo não sendo da maneira como todos nós esperávamos. Agradeço até a forma como você partiu e por ter estado com você até o último segundo. Agradeço por você ter escutado tudo que eu disse quando estava inconsciente e por ter atendido meu último pedido, um beijinho nosso. Deus sabe de tudo e faz sempre o melhor, nós é que ainda somos pequenos e não conseguimos compreender.
Agradeço por você ser esse menino-homem Ricardo, Mozão, Leão, Rica, Ricardinho, Guaxi, Porquinho, TED, Zangado, que todos nós conhecemos. Um ser iluminado, alegre, inteligente, generoso, brincalhão, determinado, cheio de energia, desprendido das coisas materiais, sonhador, companheiro, sempre pronto a ajudar os outros seja lá quem for, o momento que for e como for. Agradeço até a sua teimosia que foi importante para você seguir em frente com seus objetivos de buscar a vida, não se deixando abater com o primeiro “não” recebido; teimosia essa que brigou e lhe fez lutar como um leão e viver como um pássaro livre e como um golfinho, amigo, sociável e companheiro.
Sei que ainda estaremos juntos em outras jornadas, em outras existências, pois o amor transcende mundos, o amor está além da carne, está além da vida. E como você dizia, quando chegar o meu momento de partir, você virá me buscar.
Que você continue em paz e se vires lágrimas nos nossos olhos, não fique triste, é só nossa saudade doendo um pouquinho, mas essas lágrimas não são maiores do que os sorrisos de felicidades que você proporcionou a todos nós.

Amo você muitão... Meu amor além da vida"...   

Será fácil reconhecê-los. Palavras não serão necessárias, nem mesmo será preciso saber seus verdadeiros nomes. Saberá encontrá-los pela afinidade de suas energias, pelo chamado de seus corações e pela profunda identificação com os seus sentimentos”.




Daniella Linhares

10 comentários:

  1. Dani, esta carta que você escreveu para Ricardo é muito bonita. Em todos os aspectos, ela é especial. Porque revela a beleza do sentimento de vocês, a pessoa maravilhosa que você é e Rica também, a delicadeza com que você enfrenta as situações, incluindo a saudade. Você nos mostra um outro ângulo de percepção do mundo. Essa carta é valiosa também porque revela como a escrita pode ser um instrumento importante na expressão dos sentimentos. Gosto muito do jeito como você escreve porque nos toca profundamente. Talvez nunca nos conformemos com a viagem inesperada de Ricardo, mas, certamente, você nos conforta muito. Quando leio suas palavras, cala-se dentro de mim um certo sentimento de revolta, de incompreensão, que às vezes me ronda. É tão difícil, meu Deus, aceitar o que não podemos mudar. Só espero que continuemos todos próximos, ajudando-nos a seguir em frente. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Três meses sem nosso menino. E eu ainda não entendi o motivo de sua partida tão precoce. Se Deus o levou por que não ameniza essa dor que não cabe no peito? Se ele ainda estivesse conosco hoje certamente iria comemorar o dia dos namorados juntamente com seu amor. Que saudade da sua alegria, do seu sorriso fácil do seu carinho por todos nós. Até um dia meu filho, te amaremos para sempre.

    ResponderExcluir
  3. Linda mensagem, Dani... Qta saudade, né? Peço a Deus que conforte toda a família, que a dor no peito possa se transformar naquela saudade suave, aquela que traz uma lembrança seguida de um sorriso. Vcs foram exemplos para muitas pessoas, que mesmo distantes, torceram, rezaram e acreditaram até o último momento na cura física do Ricardo.
    Eu estava me preparando, de verdade, para ir no churrasco em Natal, comemorar a vitória de vcs... Mas a vida, essa caixinha de surpresas, mudou o final desta história. Mas eu ainda quero, sim, levar meu abraço até vcs.
    Fiquem em paz.
    Abraços a todos.
    Camila - de Ribeirão Preto

    ResponderExcluir
  4. Ola,

    Meu nome e Iracelli, sou de Salvador mas moro na Inglaterra, em Londres.

    Estava procurando por um amigo de mesmo nome, quando me deparei com o blog do Rica.

    Que licao linda de luta, esperanca, carinho, perseveranca e amor.

    Dani, que Deus te de forcas e coragem para continuar a sua missao sem o seu Mozao. E esteja certa que isto e apenas um ate breve.

    Aos pais do Ricardo, tambem sou mae. Impossivel imaginar tamanha dor, um abraco no coracao de vcs.

    Que Deus abencoe a todos.

    Iracelli

    ResponderExcluir
  5. Dani e Bastinho... A lembrança boa chegará e a dor que deixa o coração menor irá diminuir com o tempo!! Guaxi deve tá ajudando para que dias melhores cheguem e cheguem logo!

    ResponderExcluir
  6. É incrível como Ricardo continua aproximando as pessoas. Fiquei emocionada quando li o depoimento de Iracelli.O que faz uma pessoa que não nos conhece desejar escrever aqui depois de uma luta que parece vencida? Só pode ser o amor que perfumou esse blog e nunca o abandonou. Estou feliz por isso.

    ResponderExcluir
  7. Queridos, recebi hj, com muita alegria, o contato da querida "tia" Suzana, via facebook... Depois de bater um longo papo com ela, percebi que este tempo do Ricardo entre nós, serviu para "tecer" uma rede, que nos aproximou, mesmo que nós estejamos tão distantes (geograficamente) uns dos outros. Fomos unidos pelo amor, fé, esperança de um milagre... Não aconteceu como esperávamos, ficamos aqui sozinhos, ficou preso na garganta aquele grito de comemoração, as mãos que não se encontraram num grande aplauso em homenagem ao nosso menino querido, voltando ao lar, feliz e saudável. Mas ficou o carinho, a amizade que surgiu, mesmo que virtualmente. Talvez este tenha sido o milagre. E como diz a minha sábia avó, para justificar a partida de alguém tão jovem e amado: "Deus tb tem o direito de escolher o que é melhor para Ele."
    Fiquem em paz!
    Beijos a todos!
    Camila - de Ribeirão Preto

    ResponderExcluir
  8. Sempre entro no blog e sempre tento escrever algo, mas nunca consigo expressar em palavras a saudade que Ricardinho nos faz. É difícil, mesmo depois de três meses, aceitar a partida dele. Vamos esperar e pedir para que essa dor passe e fique nas nossas lembranças apenas as partes felizes. Partes essas que foram tantas porque foi isso que Ricardinho quis nos mostrar durante a sua passagem.

    Um abraço! Paulinho

    ResponderExcluir
  9. ¨Saudade¨, mais um mes sem Ricardo............

    ResponderExcluir
  10. Por curiosidade, acessei a internet e descobri que havia um site com o nome do meu xará Ricardo Vinicius. Fiquei sensibilizado com sua história.
    Desejo que Deus mantenha seu espírito iluminado e que conforte os corações de seus familiares, parentes e amigos.
    Ass.: Ricardo Vinicius (Unamar - Cabo Frio - RJ).

    ResponderExcluir