Pages

20 de outubro de 2012

Dia 115

Olá pessoal! 


Amanhã chego à minha terra e confesso que sentirei saudades de invadir um pouquinho esse espaço.

Deu para matar um pedacinho da saudade de todos que estão aqui, e o que testemunhei vou levar por toda a vida.

Vi minha menina irmã se mostrar mulher. Uma esposa dedicada, paciente e que acho que já vai sair formada em medicina, porque cada detalhe lhe é importante e ela pesquisa e luta com bravura. Argumenta com quem quer que seja, e, pois não é que dar certo. Suas teorias são acatadas, pois não é que são" batatas", tá sempre certa essa danada.

O amor de Dani e Ricardo é linnnnnnnnnnnnndo e admirável. Dão beijinho pelos ares, porque não é permitido encostar.
Fazem biquinho de longe,
Porque os lábios nesse instante ainda não podem pregar.
E Dani a mesma paciência. Cansada? Nem na aparência.

E por falar em paciência, não posso esquecer D. Lourdinha.
Eita mãe boa e grande se renova a cada instante,
 Revigora as força, segue adiante,
Chora sorrir e está sempre elegante.
Esse coração já tá tão maltratado,
Mas nós sabemos que nada é por acaso.
 Pois toda a família tem uma grande missão.
Olha só que belo exemplo de amor e união, paciência e dedicação,
 Que a cada dia nos traz uma nobre lição.

Seu Bastinho e D. Lourdinha um grande e lindo casal,
 Já passaram por grandes batalhas e sempre venceram no final,
Os dois em um, o amor dos dois,
 Sempre foi o combustível,
 Incessante e que é preciso para nesse mundo saber caminhar,
Estamos no fim dessa batalha e a vitória está a nos aguardar,
 Deus abençoe essa família, ilumina seus dias.
 E que as lágrimas que hoje caem, sejam no futuro de alegria.
Tudo dará certo,
Essa certeza é que nos guia.

E vamos deixar de blá, blá, blá
E notícias de Ricardinho falar.
E como ontem estava muito tarde e não consegui terminar
Estou enviando hoje o que ontem pude presenciar.

Ele acordou algumas vezes durante a madrugada de sexta com a dor que vem sentindo no pé. Dani fazia massagem a cada vez que a dor vinha e ele adormecia. Não precisou tomar morfina.

Ontem, sexta-feira cheguei no meio da manhã no hospital e Dani e Ricardo tinham acabado de descer para fazer a ultrassonografia, que aqui eles chamam de ecografia. Ricardo ficou esperando chegar sua vez, que, aliás, essa situação é atípica, porque na condição dele não pode esperar, porque não pode ficar tendo contato com muitas pessoas.

Só sei que demorou a começar o exame e ao terminar também. Ficamos meia hora no corredor esperando o maqueiro chegar e foi nesse momento que o hematologista passou e conversou com Dani sobre Ricardo. Ela tinha uma lista de perguntas para fazer, mas sua lista ficou no quarto e ela perguntou o que lembrara. O médico elogiou porque hoje Ricardo estava bem acordado.

Ricardo vinha sonolento e dormindo muito e disse ao médico: - Só tem uma coisa, não estou dormindo nada.
Rimos todos.
 É porque na última noite ele tinha acordado várias vezes com as dores no pé e era isso que ele lembrava.

A hemoglobina caiu um pouco, mas os leucócitos aumentaram, 2.470. As plaquetas estavam em 45.000.

Ricardo tomou banho ao voltar ao quarto. Estava com uma cara tão boa e serena, outro olhar, parecia bem feliz. Estava outro, completamente consciente e acordado. Ganhamos o dia. É impagável ver Ricardo bem e sorrindo. Que Deus o abençoe e que daqui pra frente só melhoras.

Hoje ele teve fome, mas havia defecado com sangue na última noite e a comida ficou suspensa por alguns instantes. Depois o médico passou no quarto para dar informações sobre a ultrassonografia. Tinha um hematoma no fígado, mas que aos poucos vai sarando. O médico liberou a comida. Ricardo comemorou. Mas como já havia passado a hora do almoço, ele só podia comer o lanche, que era um mingauzinho que ele não era muito fã.

Ricardo assistiu sessão da tarde bem tranquilo.
Mais uma vez se emocionou dessa vez quando viu seus pais chegarem.
Chorou, colocou pra fora e depois ficou tranquilo, foi como se tivesse lavado a alma.

A nutricionista passou e a fono também durante a tarde.

No final da tarde defecou com sangue. Menos que a última vez, mas sua alimentação foi novamente suspensa. O médico passou vitamina K.

Vou terminando por aqui,
passo o posto para Dani
Que Deus abençoe a todos
Que esse sangramento logo sane

Ricardinho queremos churrasco
Já estamos de braços abertos
Aguardando seu abraço
E sei que isso está perto.


Com a graça de Deus

Beijos

3 comentários:

  1. Oi Manu! faça uma boa viagem! foi ótimo tê-la como blogueira, vc teve mais tempo e nos relatou tudo com mais detalhes. Sua presença deve ter sido um bálsamo para todos! Continuemos firmes nas orações e nos pensamentos positivos!!!!

    ResponderExcluir
  2. Lindas palavras, Manu! Realmente só sabe o que se passa aí quem está aí. Sua visita foi um presente para Dani, Tia, Tio e Rica. Pena que você já tem que vir embora. Mas volte com a certeza de que você ajudou, e muito!
    Sei que às vezes a situação parece ser desesperadora, mas vocês têm uma arma poderosa para ajudá-los a enfrentar tudo isso: o amor. Sei que nós sairemos vencedores dessa batalha, que às vezes pode parecer injusta, mas que servirá como uma grande lição de amor para o futuro de cada um.
    Rica, meu irmão querido, a saudade está batendo mais forte a cada dia, mas eu me agarro ao dia do seu retorno, vejo ele em meus sonhos e lógo me conforto, porque sei que este dia está perto de chegar!
    Força, falta pouco! Estamos todos aqui esperando por vocês ansiosamente!
    Beijos. Amo vocês!

    ResponderExcluir
  3. Manu, você é muito inspirada. Colocou poesia nas suas palavras e isso nos emociona mais ainda. Foi ótimo tê-la como nossa informante. Gostei muito do modo como você manipula as palavras. Parece bem íntima delas. Seja feliz, minha querida. Deus lhe proteja. bj

    ResponderExcluir