Pages

Minha História

"Eu sou Ricardo Vinicius, tenho 28 anos, casado com a Dani. Em julho de 2011 me deparei com uma doença rara".

Descanse em Paz!

Família do meu Pai

Obrigado pelo Apoio e Carinho.

Ricardo e Sergio - Os dois tem Adrenoleucodistrofia

Sergio não sente nada, mas os Adrenais estão sem funcionar. Ricardo está com problemas motores.

8 de março de 2017

08/03 - Dia Internacional da Saudade de Ricardinho


Oi, leitores do blog de Ricardinho!

Quem 'fala' é Suzana. Tia Suzana. Mais uma vez...

Dani me pediu pra escrever aqui.

Lógico que aceitei!

Hoje é dia 08 de Março.

Mais um!

Na verdade, são exatos quatro anos de uma despedida tão difícil e dolorosa nas nossas vidas.

Nesse tempo todo, tudo, praticamente tudo, já foi dito, escrito, sentido, pensado...

O que não se esgota  jamais, é a saudade, as lembranças, as perguntas que ainda não tem respostas...

De certo mesmo é a certeza do olhar sobre a gente. Sinto que, sempre que possível, ele dá uma espiadinha lá de onde se encontra agora.

Deve coçar a cabeça em algumas situações...

Em outras, gesticula - principalmente com a mão esquerda (canhoto que é...).

Noutras ainda, dá aquelas gargalhadas contagiantes, carregadas de toda sua alegria inspiradora!

Deus transformou você em anjo. Já lhe disse que sinto suas asas a me fazer cócegas na alma... Já lhe disse também o quanto aquece o coração  fechar o olho e ouvir sua risada... Essas são minhas orações diárias pra você, filhote: manter essa ponte de amor, nunca desligar o canal de luz... Isso nos mantém, todos nós, com os corações sempre conectados!...

Aprendi - ao longo da vida - que essas despedidas fazem parte da nossa jornada aqui na terra. E você nos ensinou o quanto é importante cada etapa, cada luta, cada batalha!

A vida é cíclica, costumo dizer. Quase tudo passa. E vem outras fases, outras experiências, outras vivências...

Mas você, Rica, jamais sairá dos nossos corações. Nunca será esquecido! Está tatuado nas nossas vidas, irreversivelmente!!!

Pra todos que o conheceram, os nossos 08.03 de cada ano ficaram instaurados como o Dia Internacional da Saudade de Ricardinho!

Bjos de luz, filhote...

Bjos em todos!

8 de março de 2016

"...e assim se passaram 'três' anos..."

"sem eu ver seu rosto.
sem olhar seus olhos..."
Dani e Ricardinho na formatura de Júnior

Essa música muito antiga, composta por Emilinha Borba, e (re)gravada com sucesso por Gal Costa há muitos anos, descreve um pouco do que sentimos hoje..

Nossos dias 8 de cada mês nos remetem a lembranças mil.

Nossos dias 8 de março nos leva a um pedaço do nosso universo onde, além das lembranças mais que vivas em nossas memórias, somos revestidos numa saudade que dói...

Entretanto, hoje, especificamente, não estamos sangrando em dores. Estamos sim, sentindo a alma abraçada numa saudade morna, macia, perfumada... 

As lágrimas até vem... Mas elas deságuam em nossos olhos vindas de corações cheios de gratidão!

Agradecer a Deus pelo presente de ter convivido com Ricardinho tem sido hábito aprendido a duras penas, a grandes dores.

Mas como é ruim sentir dor o tempo todo!!!
Lourdinha, Rica e Bastinho no casamento civil de Rica e Dani

Talvez por isso nosso instinto de sobrevivência, de grande tentativa de boa sobrevida sem ele aqui, talvez isso tudo faça prevalecer uma grande tentativa de bem-viver.

Temos vivido dias bem difíceis, com novas e grandes jornadas! E como temos lições de Rica!

Como as experiências de  tempos atrás tem nos guiado nesses caminhos d'agora...

Como o legado que esse menino nos deixou tem nos norteado vida afora...

Agora deixe-me falar direto a você, filhote: há ocasiões em que vejo sua luz a nos guiar em dias cinzentos. Há situações em que basta fechar o olho e sinto suas asas de anjo a fazer cócegas na alma. E como provar que, se eu me concentrar, ouço sua gargalhada e sinto seu abraço apertado, aconchegado, caloroso?...

Eu lhe imagino agora, sorrindo largamente e ouço você: "essa minha tia só pode ser doidinha!" kkk... Em tempo, vc e Serginho nunca me chamaram de tia! E ainda sofro por isso! kkk. 

Ah, já ia esquecendo. Sou Suzana, tia Suzana, que já deixou registrado aqui nesse blog, muito do que foi experenciado no processo de luta de Ricardinho. Então o que escrevo aqui é muito do que todos sentimos, mas é tudo muito particular do meu sentir. Dani, Bastinho e Lourdinha sempre me confiaram, sem restrições, esses registros. Eu me sinto honrada por tamanha confiança. E agradeço muito por isso.

Escrever sobre o terceiro ano longe do nosso menino não é tarefa muito fácil. Mas deixo o coração ditar o que está aqui. 

E, embora um pedaço do coração de cada um de nós esteja com Rica, ainda sobra muito pra viver aqui, enquanto nos for permitido. 

Ainda vamos rir muito, chorar bastante, nos emocionar atééééé!!!... sempre que pensarmos em Ricardinho.

Afinal, como diz minha irmã Suerda: "Tem gente cujo coração é como se batesse dentro da gente. Eis um exemplo dessa 'éspécie'": Ricardo Vinícius Linhares Medeiros de Sá! Ou simplesmente Ricardinho, Zangado, Poroquinha, Rica, Guáxi, Ricardo de Dani, Cara de Fuínha...

Ou, mais simplesmente ainda, nosso anjo particular que mora no céu, ao lado do Pai. E que deve fazer muitas presepadas na sua morada definitiva. E que viveu tão intensamente aqui entre nós!
Ricardo e Sergio em Gramado/ RS

Beijo de luz pra você, Rica!

E todo nosso desmedido, imensurável amor.

Eterno.

Incondicional.

Amor na potência máxima!  

8 de março de 2015

Dois anos! Tempo relativo...

Ai, que assustador!

Parece que é a primeira vez que escrevo aqui...

Estou desacostumada, perdi a mão?...

Vejamos.

Dois anos! E a relatividade do tempo se faz provar...

Hoje, por exemplo, as lembranças fazem com que pareça que tudo aconteceu há poucos dias...

Todas as imagens e situações vividas naqueles dias estão muito nítidas na nossa memória...

E hoje está atípico: não estamos juntos, reunidos, família e amigos, como sempre fizemos ao longo da nossa vida e desses dois últimos anos.

Aprendemos que o tempo é senhor absoluto de todas as coisas, que ele cura tudo. É bem verdade.

Mas tem uma coisa que o tempo não sana. Aliás, ele só faz aumentar com o passar dos dias, meses, anos... A saudade!

E nesse 8 de março, quando todo mundo comemora o Dia da Mulher, nós também celebramos o Dia Internacional da Saudade...

Tudo que nossa emoção clama hoje é por um sorriso de Ricardinho. 

Uma boa conversa (daquelas bem sérias, que ele conduzia tão bem! Ou divertida e alegre como sempre terminavam esses momentos de fala-fala, rsrs).

Ou ainda, desejo maior de todos, aquele abraço longo, aconchegado, que fazia nossas almas e corações se sentirem acolhidos...

Difícil aceitar (e falo por mim) que não estaremos mais juntos nessa vida... Hoje estou muito cheia de perguntas sem reapostas...

Mas espero, sinceramente, que essa onda de questionamentos passe logo.

E que voltem apenas as lembranças tão boas, as lições tão bem dadas por ele e, na medida do possível, aprendidas e apreendidas por nós...

A garra com que Ricardinho viveu cada conquista.

A alegria que irradiava em quaisquer situações de leveza.

A luz que emanava pelos olhos apertadinhos, mas que eram grandes janelas da sua alma tão clara!

As intensas formas de festejar a vida no carnaval, Festa de Santana, formatura de amigos, encontros animadíssimos em casa...

A seriedade com que conduzia o trabalho, fazendo com que, tão jovem ainda, conquistasse cargos de 'mais velhos', rs.

A disciplina nos estudos, seus e de quem ele amava, cobrando de si e de todos, mais um pouco de tentativa.

O imenso amor que fazia parte de si e que ele doava a quem se chegava a ele.

A determinação com que conduziu a doença (adrenoleucodistrofia), tentando,de todas as formas, se ajudar e ajudar aos outros portadores da ADL-X, numa possível descoberta de cura.

Enfim, é nos apegando nessas lembranças que vamos tocando nossas vidas aqui, até cumprirmos nossas missões. E não me refiro a apego doentio, que possa atrapalhar nossas vidas ou a dele. São apegos suaves, sabendo que agora as vidas são diferentes, as nossas e a dele...

Mesmo nos momentos mais difíceis que ainda temos, sempre procuramos respeitar essa sua nova forma de vida, no plano espiritual em que ele vive agora. Não é fácil, mas tentamos.

Tentamos e esperamos nos reunir outras vezes pra celebrarmos a vida, com preces, alegrias, abraços, emoções, brindes, lágrimas, música... Como sempre foi. E voltará a ser (esse ano estamos respeitando alguns de nós, que não estamos muito prontos pra esses encontros).

E no nosso próximo CELEBRAR A VIDA, faremos juz ao que isso realmente significa!

E vc, Rica, Ricardinho, Cadim, Poroquinha, Zangado, Môzão, verá, mais uma vez, através da luz em que se transformou, e de onde estiver, que vc continua fazendo parte de nós e da nossas vidas... Será sempre assim. Vc sente isso, como sentimos vc bem...

Quanto a mim, filhote, sabe que amo vc - como os outros sobrinhos - com um amor que se assemelha ao amor de mãe...

Amo você incondicionalmente!

Amo você para sempre...

E não há medida pra esse amor.

Beijo de luz pra você, de titia Suzana.

23 de agosto de 2014

Saudades - 1 ano e 5 meses




Há dias estou tentando escrever alguma coisa para este blog. 

Não é fácil falar sobre Ricardo neste espaço que ele criou e no qual fez tantos planos para o futuro. Por falar em planos, houve um momento em Porto Alegre, quando estava convalescendo do transplante, que ele dizia que quando se aposentasse iria comprar um pequeno sítio nas imediações de Natal. Muitas vezes ficávamos fazendo planos sobre o que iria produzir lá. Criar porcos, ovelhas, galinhas, patos e outros pequenos animais. Acho que ele fazia muitos planos para ter certeza de sua cura. Ter certeza que sairia daquelas situações que enfrentou. E as enfrentou com bravura e convicção de que voltaríamos vencedores daquela batalha ferrenha pela vida. Não foi como planejamos e aqui estamos a espera que um dia voltemos a nos encontrar no outro plano em que ele se encontra a nossa espera. Desejo muita paz aos leitores deste blog e agradeço pelos recados que deixam neste espaço de luz.



Bastinho.

12 de julho de 2014

Saudades imensas

            
       Olá pessoal,  é Bastinho, pai de Rica. Estou aqui para manter vivo esse sonho que ele nos deixou, pois além deste blog queria também fazer um site e uma ONG para difundir  conhecimentos sobre a doença que o acometeu, bem como prestar ajuda a quem necessitasse de tratamento. Mantemos vivos esses sonhos. Estamos deixando o tempo passar um pouco, na esperança que nossa dor seja amenizada e tenhamos mais condições de coloca-los em prática.
        Tenho em mente o que estaria fazendo agora se ainda estivesse entre nós: envolvido com a copa do mundo, acompanhando o campeonato de formula um ou mesmo se preparando para ir para festa de Santana de Caicó.  Mas estou falando da vida dele de solteiro. Agora casado com Dani talvez os planos fossem totalmente diferentes.  Talvez até comprometido com a encomenda de um filho, com certeza o maior sonho de sua vida. Ricardo tinha uma atração muito especial com crianças.  Ele era muito comprometido com os filhos que pretendia ter, desde escolha de nomes a maneiras de concepção. Não tinha certeza de como seria a maneira de concebê-los devido sua situação de saúde.
              Pois é filho, estamos aqui vivendo grande parte de nossas vidas pensando na sua partida precoce e tentando tocar nossas vidas, na medida do possível . Ainda bem que o destino não nos dá descanso. Estamos sempre envolvidos em acontecimentos que marcam nossos cotidianos, dentre eles mudança de casa, casamento de Sérgio e agora a saída dele aqui de casa, está procurando apartamento para se mudar e seguir sua vida de casado. Desejamos ao casal muita felicidade em sua morada oficial.
              E, com os tesouros que ainda temos, um filho, duas noras que as consideramos filhas também, e uma família muito unida, vamos em frente esperando o dia do grande encontro que todos certamente iremos promover na casa do Pai.
              Muito obrigado aos leitores e recadistas do blog.

              Abraços a todos.

19 de junho de 2014

Você é inesquecível!!!


 Vejo sua foto todo dia no banner na sala de casa.

Seu sorriso na foto nos faz refletir a respeito do que é mesmo importante na vida.

Aliás, seu exemplo nos reforça que a vida é pra ser vivida com relevância no que é simples e impagável. Momentos com a família, atitudes boas, bondades nas ações...

Você passou tão rápido dessa vez, mas deixou tantos exemplos e ensinamentos de quem as vezes tem oportunidade de uma vida inteira e  simplesmente passa e nada deixa de legado.

O seu foi imensurável!

Um jovem guerreiro que lutou para viver e enquanto estava no palco da vida terrena, o sorriso e simplicidade eram suas armas contra as intempéries da vida, que muito nos ensinava na arte da convivência com as pessoas.

Às vezes ainda me pego pensando se foi verdade que Deus o levou...

Pois desde o começo quando soube que você e Dani finalmente estavam juntos, pensei:
“Combina mesmo, e olha como se parecem até fisicamente...” Era lindo de se ver.

Mas li essa semana em uma mensagem que meu pai recebera uma reflexão da parte de Deus: “Sendo Ele o dono do jardim, não tem o direito de recolher uma rosa!”

E Deus o levou de volta para casa...

E um dia com certeza nos reencontraremos, todos nós e nessa hora não existirá dúvida nenhuma dos planos e desígnios do Pai; compreenderemos todos os porquês que ainda nos circunda a alma.
E até lá procuraremos viver da melhor forma possível...

Com a saudade, mas com você vivo dentro de cada um de nós, nos inspirando na lei do amor para com o próximo, e dando combustível na lembrança das suas atitudes para se viver da melhor forma possível.

E que minha irmã, que hoje sofre muito com sua ausência, consiga ter forças para se consentir compreender as razões da separação momentânea, e se permita ser novamente feliz.
Pois o retorno é certo, assim como o reencontro, e que Deus nos dê força para aceitar os planos do pai.

Você é realmente ADMIRÁVEL E INESQUECÍVEL meu eterno cunhado e irmão!!!


Manuella Fernanda






9 de maio de 2014

Um ano e dois meses de saudade!!!


Oi leitores, amigos queridos...

Suzana, tia Suzana falando aqui com vocês novamente.

Mais um mês e já se passaram 420 dias, 14 meses, um ano e dois meses desde aquele 8 de março de 2013...

Nesse tempo, que inclui desde a descoberta da doença, passando pelo fechamento do diagnóstico, a orientação de fazer o tratamento - com transplante - em Porto Alegre, a sorte de encontrar o doador da medula, todo o tempo de internamento em hospital (6 meses ininterruptos, mais 4 meses alternando casa/hospital...) Nossa!!! A jornada foi longa, intensa, grandiosa!... Pois bem, nesse tempo todo, nunca se pensou que seria como foi... 

Quem imaginaria que Ricardinho não estaria aqui no seu aniversário de 30 anos?!

Ele partiu aos 28. Completaria 29 em 12 de maio de 2013. E na segunda-feira, pós dia das mães, viraria um 'balzaquiano'... rsrsrs.

Mas, quis o destino, Deus, a providência que nos rege, que ele, nosso menino, seria sempre jovem...

Não vamos vê-lo envelhecendo, com cabelos grisalhos - ou sem, rsrs - com rugas, rabugento... rsrsrs.

Mais que nunca, e para sempre, Ricardinho será sempre nosso menino...

Seus sonhos nos acompanharão vida afora... 

Sua vontade de ajudar as pessoas que tinham a mesma maldita doença... Que será feita dessa vontade?

Sua gargalhada ecoará em nossos ouvidos e, principalmente, em nossos corações, enquanto vida tivermos...

Quem explicará no seu lugar, de forma tão clara, tão bem argumentada, coisas das mais simples às mais complexas?... A  veia de professor, um dos sonhos que tinha (e não teve tempo de colocar em prática) sempre foi marcante em vc, filhote...

Quando iremos parar de achar que, a qualquer hora, você voltará como se estivesse viajando, ou embarcado?... Sim, muitas vezes nos pegamos com esse pensamento... Muitos dias, ao acordar, pensamos: isso tudo aconteceu mesmo ou foi um sonho?

Aí a vida grita, nos sacoleja e acordamos pra essa nova realidade ainda tão nova pra todos...

E vêm as lições... Muitas!!!

Aprendi, e falo por mim, que tudo na vida passa! E passa mesmo, vira pretérito. 

Tudo? 

Não!

A saudade que sentimos de você não passará!
Nunca passará! Porque a saudade é a certeza de que você, Rica, continua vivo em nós!

A saudade se transformará. Deixará de sangrar em forma de lágrimas. Não maltratará nossa alma numa dor da vontade de um abraço. Não apertará nosso coração num desejo de lhe ver e tocar em você. Não sufocará nossa vontade de conversar atéééé...

Então vamos esperar e fazer nossa parte pra que as coisas sejam assim mesmo...

Porque há os dias em que não é fácil pra ninguém conviver com a certeza de as coisas não são mais como eram quando você estava aqui...


Alguns de nós ainda sofrem de forma que eu tenho medo que lhe atrapalhem na sua nova vida... E, como não é fácil pra gente, imagino que também não é pra você, meu lindo de titia...

Mas vamos juntando nossas forças, dividindo nossas dores, multiplicando nossas esperanças e tentando diminuir nosso egoísmo de achar que você deveria ficar aqui, quando sua missão é tão maior do que só estar aqui no plano terreno... 

Portanto, Ricardinho, sigamos nossas jornadas de vidas, sejam elas quais e onde forem...

Espero que nossa Dani esteja pronta pra escrever aqui de novo. Estamos com saudade de vc, minha querida... 

E acho que ninguém me aguenta mais... rsrs...

Mas saiba, saibam todos que, pra mim, é uma honra muito grande, uma honraria das maiores que eu poderia ter, escrever nesse blog, como fiz tantas vezes em outras situações e circunstâncias... Realmente, me sinto 'fazedora', parte atuante dessa jornada chamada vida. Agradeço por isso.

A todos, e em especial a Rica, um imenso abraço e o desejo de que fiquemos todos, todos nós, em paz de espírito e em comunhão com a vida que nos é permitida, aqui ou em outro plano...


Titia Suzana te ama muito, pra sempre e incondicionalmente...

Bjo de luz pra vc, filhote!






9 de abril de 2014

1 ano e 1 mês...


Oi, leitores do blog.

Sou Suzana, tia de Ricardinho.

Volto aqui depois de um tempo sem escrever pra vocês.

Postei algumas vezes nesse último ano.

Mas o que me marcou aqui foram as vezes em que escrevi em Porto Alegre...

Nossa, já se passou um ano inteiro, mais que um ano inteiro... E não foram dias fáceis! Na verdade, foi o ano mais difícil das nossas vidas...

Todas as datas, das mais corriqueiras às mais significativas e importantes já foram vividas pós partida do nosso menino...

Gostaria de relatar pra ele, pra Ricardinho (e pra vocês que leem também), esses meses derradeiros passados...

Pois é, Rica, desde que você se transformou em anjo, bateu suas asas e foi morar no céu, que nossa vida se transformou...

Apesar do nosso coração sangrar em lágrimas por muitas vezes, mesmo com a saudade gigante que sentimos, tentamos aprender com o que você nos ensinou...

Hoje seus pais, Bastinho e Lourdinha, não moram mais na casa onde vocês cresceram. Sua mãe e sua tia Nena foram vítimas de um assalto violento lá... Exatamente quando fazia um mês da sua partida, no dia 08.04.2013. Levaram muitas coisas materiais e outras tantas de valor sentimental... Mas não tiraram dessa família o que ela tem de mais precioso: a força, a união e a vontade de seguir em frente, sempre!

Hoje eles moram num apartamento e estão vendendo a casa.

Serginho, seu irmão, casou! Isso mesmo! Ele e Izainy são casados agora! Numa cerimônia simples e linda, emocionante e divertida, com lágrimas de saudades suas e risos de quem está começando uma nova vida a dois, com as famílias e seus melhores amigos presentes, eles se tornaram marido e mulher.

Por enquanto moram com Bastinho e Lourdinha. Eles optaram por passar o maior tempo possível juntos, os quatro, pertinho uns dos outros, tentando reaprender a viver sem sua presença física, meu filhote... Vão ainda morar juntos por um tempo, até a vida dizer: já é tempo, pode ir pra casa de vocês, jovem casal...


Dani, sua esposa - e todos, nós convenhamos! - ganhou uma linda sobrinha, filha de Manú e Neto. Jasmim é a pessoinha mais linda, fofa, simpática, banguela, rsrs, querida e amada... Ricardinho, ela é o xodó de toda a família, aliás, de todos nós! Somos todos apaixonados por aquela gostosinha!.. Você ia arroxar muito ela... (cá pra nós, eu tenho muita vontade de apertar aquelas boxexas atééé ficarem vermelhas, arroxar ela atéééééé ela gemer... rsrs). Ela é uma anjo na vida de todos... Um bálsamo em forma de menina-boneca-florzinha em nossas dores e saudades... Estar perto dela, é estar mais perto de Deus, sinto isso...

Seu pai teve bem doente... Já está tudo bem, tudo já passou, mas foram dias muito difíceis... Uma inflamação no osso da bacia o deixou numa cadeira de rodas por um tempo. Eu, particularmente, acho que foi somatização de toda a dor, saudade e sofrimento por causa da sua partida. Ele sentiu tudo isso de uma forma muito intensa! Suas palavras "perder um filho é uma mutilação na alma" traduzem o que quero dizer... 

Mas não sofra por isso, meu filhote! Todos sabemos que sua missão aqui nesse plano foi cumprida e, mesmo com tristeza por não termos mais você fisicamente conosco, siga sua nova vida em paz... Sabemos que o propósito de Deus é maior que tudo que imaginamos, como disse Ana Santana. E isso nos conforta! Só não nos impede de sentir uma saudade imensa...

A gente costuma se reunir, como sempre fez, nas datas importantes... Fizemos isso esse ano também, várias vezes: na missa de sétimo dia celebrada pra você. Na de trinta dias, quando nos reunimos num almoço, em meio ao atordoamento do que tinha acontecido, da saudade, da tristeza, da alegria de poder juntar as famílias, de ver tantos, tantos amigos seus, Rica, a homenageá-lo, a contar histórias, a sorrir e a chorar... No dia das mães, quando celebramos também seu aniversário aqui na terra... No casamento de Serginho e Izainy, onde a emoção foi a palavra de ordem... Nos sessenta anos do seu pai, e aniver de Serginho... Tudo foi motivo de reunião, de confraternização, de lembrar, sempre!

Fora a Festa de Santana, padroeira de Caicó, terra natal de muitos de nós, de quase todos nós, morando lá, em Natal ou onde quer seja!
Você e a Festa de Santana sempre tiveram um "caso de amor" muito grande, num é vero? rsrs.

E o carnaval? Esse você não deixava passar em branco mesmo!!! Sempre brincou com toda alegria que um bom folião deve ter!!! Confesso que ver seus amigos lá, todos juntos e brincando, tentando isso sem sua presença, confesso que me emocionou muito, às vezes com lágrimas... E a mim, sempre ofereciam um carinho, uma cerveja, um abraço... Mas você é presença muito marcante entre Serginho, Júnior, Alexandre, Edmilson, Jorge... E tantos outros que não sei o nome... Não lembro de todos agora... Mas todos estavam lá... 

Outros amigos que lembram muito você, Ricardinho, são Diogo, Danny, Kleber... Todos esses, e muitos mais, são muito presentes, visitam sempre sua mãe e seu pai... Sempre! E com um carinho que comove... Eu sempre me emociono na presença deles...

Do trabalho tem Paiva (hoje Serginho trabalha com ele), conheci André Lucena (doce de pessoa!).

Nosso último encontro foi no dia em que fez um ano da sua partida. Houve um missa, celebrada lindamente pelo padre José Mário. Muitos amigos e familiares se juntaram para rezar, fazer preces, cantar... Tudo muito carregado de emoções, abraços, saudades... Depois almoçamos juntos, nos emocionamos mais ainda, mais abraços, risos, lembranças que o tempo não apagará. E uma saudade que torna você, filhote, muito vivo em nossos corações! O amor que foi vivido e espalhado por você nos faz acreditar que Deus foi muito generoso quando nos deu de presente sua convivência, seu partilhar de lições, sua inteligência que dividia com todos, sua alegria e intensidade em viver... 

E, além de tudo, ainda nos trouxe Dani e sua família tão querida!!! Família essa que nos ajuda muito a compreender todo esse caminhar. Todos são muito espiritualizados e partilham conosco um enxergar a vida além daqui... Dani é nossa querida, nossa menina que cuidou de você como uma mulher de muita garra!!!

Obrigada, Ricardinho, por tudo!!!

Simplesmente, obrigada!!!

Ser sua tia e ter podido conviver com você, desde sua infância até os dias em que 'morei' em Porto Alegre, me ensinou as mais nobres, doces, lindas, e duras lições que alguém pode ter nessa vida... E essas são lições preciosas, que me fazem aprender até hoje e por toda a minha vida...

Ter essa conversa aqui hoje com você é uma forma de lhe agradecer por tudo...

Amo você - e todos os meus sobrinhos - com uma amor que se assemelha ao de mãe! Como não tenho filhos biológicos, é esse o maior amor do mundo, pra mim!!!

Sigamos nossas vidas, nos planos que Deus nos coloca... E tentando entender Seus propósitos!

Bjo de luz pra você, meu filhote Ricardinho!


P.S.:
Apesar de todo entendimento que tentamos, por você e também por nós, é impossível não sentir saudade... Saudade gigante, imensa... E também saudade da esperança que tínhamos de que tudo fosse como esperávamos que fosse... Saudade da esperança é algo quase poético! E é isso que vejo nas entrelinhas das postagens desse blog, nos nossos tempos gaúchos...

Fiquemos todos com Deus!
  










9 de março de 2014

1 ano de enorme SAUDADE

Oi Mozão...

Ontem acordei com o estômago embrulhado, sentia vontade de vomitar e dor de barriga ao mesmo tempo, um mal-estar tremendo... Uma angústia, um aperto no peito... Me senti como há um ano atrás, quando você partiu.

Ontem foi um dia difícil... mas ao final se tornou mais leve com encontro de lágrimas, sorrisos, músicas, como você bem conhece... Um momento de encontro dos Linhares medeiros... Estávamos celebrando mais um ano de vida de dona Lourdinha... Acredito que você nos visitou em ambos momentos...


A saudade continua gigante... as crises existenciais ainda existem... mas sei que tudo nessa vida não acontece por acaso e Deus sempre faz o melhor por nós...

Hoje queria agradecer por me deixar fazer parte da sua vida... pelos momentos maravilhosos que tivemos... pelo sorrisos que você arrancava de mim todos os dias... pelos carinhos e compreensão... pela gentileza... pela leveza que tudo se tornava com você por perto... pelo seu amor... pelo brilho que você dava a minha vida... pelos nossos sonhos... pela nova família... pelos muitos ensinamentos deixados... 



Amo muitão você Mozão!!!



Não consegui escrever nada para ler na missa dessa vez... Travou tudo... O texto a seguir foi elaborado por Camilla, minha prima, que foi lido por ela na missa.


Quando a morte vem ceifar em nossas vidas de forma tão prematura aqueles que nos são caros ao coração nos perguntamos, imersos à lágrimas, lamentações e tristezas: Por que a brusca separação? Como poderemos viver, conviver com essa dor imensa? Com a saudade que nunca tem fim? Será que é o fim? Que tudo acabou?

Não! É inconcebível pensar que aqueles a quem tanto amamos deixou de existir... Que nunca mais iremos encontrá-lo... Que aquele que sempre foi alegria, sorriso, amor, deixar de ser.
Pois é! Assim é o nosso querido Ricardo. Se pudéssemos defini-lo em uma palavra, essa seria FELICIDADE! Felicidade que transbordava em gestos, no olhar, no sorriso que fazia sorri a sua família, amigos e o seu amor: Dani.

E, com essa certeza de que ainda é assim, de que ele ainda está conosco em todos os momentos e nas mais doces lembranças que cito as seguintes palavras de Emmanuel, trazidas a nós pelas mãos de Chico Xavier:
“Para aquele que buscou viver com ética e amor, a morte é apenas o fim de um ciclo. A volta para casa. Com a consciência pacificada, o coração em festa, o homem de bem fecha os olhos do corpo físico e abre as janelas da alma. Do outro lado da vida, a multidão de seres amados o aguarda. Pais, irmãos, filhos ou avós - não importa. Os parentes e amigos que morreram antes estarão lá, para abraços calorosos, beijos de saudade, sorrisos de reencontro. Nesse dia, as lágrimas podem regar o solo dos túmulos e até respingar nas flores, mas haverá felicidade para o que se foi em paz. Ele vai descobrir um mundo novo, há muito esquecido. Descobrirá que é amado e experimentará um amor poderoso e contagiante: o amor de Deus. Depois daquele momento em que os olhos se fecharam no corpo material, uma voz ecoará na alma que acaba de deixar a Terra. E dirá, suave: Vem, sê bem-vindo de volta à tua casa”.

Ricardo voltou pra casa! E nós ainda estamos vivendo a nossa viagem, crescendo com nossas experiências. E chegará o dia que nós retornaremos para a nossa verdadeira morada, onde todos estarão unidos pelo sentimento de irmandade e amor.

E ele estará lá, aquele a quem tanto amamos... Ele estará lá para nos receber de volta, com a mesma festa, a mesma alegria. Só que agora a felicidade será maior pela certeza de que os laços são eternos, que a saudade um dia cessará, pois logo mais estaremos juntos outra vez!



Música: Velhas Canções - Canto de Paz

Além do véu
Da nova vida
Marcham os humanos
Vão-se os que amamos

Além do corpo inerte
Vive uma chama
Aurora da verdade
Real continuidade

O sopro não se extinguirá
Em desenlace de amargura
A brisa, firme, seguirá
Ascendendo às alturas

E o coração que vibra e pulsa
Não se rende ao silêncio
Segue adiante, agora livre 
Pelo universo, amor imenso

Além do medo
Vão-se todos, sem cessar
Rumo ao infinito
No retorno para o lar

Além do silêncio
Segue a voz da emoção
Não há laço esquecido
No tempo do coração

Pode uma lágrima cair
Mas sem desespero, sem dor
Pois a distância um dia passa
E a espera é nada para o amor
    
Verte o sabre do sepulcro 
Sangrando uma falsa solidão
Nasce o consolo na criatura
Ao ver que é eterna a criação

Refrão:
E a saudade vem lembrar velhas canções
Que embalaram os versos, em poemas de união
Agora sem dor, sem dizer adeus
Pois, logo mais, haverá tudo outra vez



5 de março de 2014

Convite da Missa de 1 ano de Ricardo Vinicius


Um ano se passou e parece que foi ontem... Como o tempo é relativo... Sentimos muito sua falta Mozão...







9 de fevereiro de 2014

11 meses de SAUDADE sem tamanho!!!

Oi Mozão

Que saudade de você!!!

Estamos em fevereiro... Costumava adorar esse mês, pois é o mês do meu aniversário... Ainda adoro, pois também é o mês do nosso casamento, mas confesso que estava receosa com a chegada dele. É a primeira vez que passo sem você... Como eu queria que você estivesse aqui!!! Lembrei-me do nosso primeiro beijo, que foi no meu aniversário de 18 anos; e do nosso último aniversário junto, você fez tanta questão de me dá um presente.. E eu adorei e hoje muito mais... Lembrei-me do nosso casamento e da festa que ainda íamos ter... Enfim, lembrei-me de nós, como faço todos os dias.

Esses dias foram cheios de emoções... Meu aniversário (6), onze meses da sua partida (8) e o segundo aniversário do nosso casamento (9)...
Sabe... Acho que Deus (e você também) não me quer vê quieta... Não queria festa, bolo, nada... Não este ano... Mas não teve como, nossos amigos e família aprontaram comigo rsrsrs e adivinha? Meu aniversário caiu no dia do resultado do IFRN de João Victor. Ele passou em 1º lugar em Mecatrônica. Então, a minha vontade de ficar quietinha em casa não deu certo. Estamos muito orgulhosos dele, sei que você também está.

Na verdade, acabei tendo duas comemorações de aniversário e a segunda foi muito especial. Ontem comemos o pedaço do nosso bolo de casamento que estava congelado para comermos no nosso primeiro ano de casados, mas não foi possível, pois nessa época estávamos em Porto Alegre. Foi muito emocionante e ainda estava muito gostoso e bonito J
Ganhei presentes muito significativos e especiais (obrigada d. Lourdinha e seu Bastinho, Carlinhos e Beti).

Estamos caminhando para um ano da sua partida, ainda parece surreal, parece que você voltará a qualquer momento...

Todos nós sentimos muito sua falta... É uma saudade que não se mede em palavras... Um dia mataremos toda essa saudade...



Amo você Mozão!!! Amamos você!!!





8 de janeiro de 2014

10 MESES! E A SAUDADE SÓ AUMENTA!


Oi, leitores nossos, boa noite!

Suzana aqui novamente!

Dani e Bastinho me pediram e cá estou eu, mais uma vez...

Achei, há dez meses, que esses dias tão adiante do acontecido chegariam com menos dores, menos sofrimento... Não chegaram... Hoje a saudade está desmedida, a falta dele grita nas nossas silenciosas horas de choro... 

A cabeça diz e a razão entende que nada mais será como antes, que nosso encontro agora só acontecerá no outro plano! Mas o coração não assimila e a emoção deságua pelos olhos...
Depois de um Natal relativamente tranquilo, com uma desfalcada alegria de reunir a família e de um revéillon faltando parte do que nos esperançava, iniciamos um ano como nunca imaginamos... 

Nossa luta é imensa para que nossa fé não fique abalada. Brigamos com nossas tristezas e valorizamos bastante nossas lembranças alegres... 

Em algum momento de nossas vidas (acredito, espero, sei que vai acontecer!!!) não haveremos mais de sangrar de tanta saudade... 
Esta será amenizada pelo aprendizado de tantas lições de amor que Ricardinho nos deu... E deixaremos nosso egoísmo de lado, iremos parar de lamber nossas feridas, não sentiremos mais auto-piedade. Iremos perceber que não apenas nós éramos merecedores da presença física dele... Anjos são maiores do que nosso pequeno entendimento... Suas asas não cabem só nessa terra!

Voa alto, nosso pequeno anjo!

E, mais uma vez, e sempre, perdoe as nossas lágrimas e não deixe que elas atrapalhem seu lindo vôo celestial...

E esse seu sorriso nunca sairá dos nossos corações...

Bjo de luz pra vc, anjo sorridente...
Serginho e Ricardinho num Feliz Natal em família!

8 de dezembro de 2013

Nove meses...

Olá, boa noite a todos que nos visitam nesse espaço.
Hoje faz nove meses que nosso Ricardinho mudou de forma de vida. Deixou esse plano que conhecemos e se transformou em luz... E, com isso, mudou para sempre nossas vidas...
Ainda é muito estranho nos depararmos com essa realidade que temos hoje!
Ainda não nos acostumamos com a não presença física dele... (será que um dia será diferente?!...).
A sensação, muitas vezes, é que ele vai chegar, vai voltar a ser tudo como sempre foi até o dia 08 de março...
Sinto isso, e sei que muitos de nós sente o mesmo...
Hoje foi um dia bem específico, bem peculiar. Um grande amigo dos meninos - de Serginho e Rica - Kléber, estava conosco. São grandes amigos, estudaram muito juntos, passaram no mesmo concurso, trabalham na mesma empresa... Hoje esse amigo mora no Rio. Está de férias e veio a Natal. Estar perto dele nesses dias, foi também estar mais perto de Ricardinho... As lembranças ficaram muito fortes, vivas, quase palpáveis...
Nossa querida Dani também ficou o dia todo junto da gente. Bastinho (pai) até comentou: "esse foi o melhor dia 08 que passei desde a partida de Ricardo, acho que é porque Dani estava aqui, com a gente..." Realmente o dia foi leve, de saudade, emoção, mas com uma pitada de suavidade...
E olha que o Natal está bem perto!!! Uma data já naturalmente melancólica, com um certo sopro de tristeza, com certeza será uma prova de fé pra todos nós...
Sei, sinto que Ricardinho está num plano de crescimento espiritual, de evolução, de 'prestar contas' do que foi a vida dele aqui. E a vida dele foi um exemplo, o que nos deixa tão certos do bem estar dele hoje... Sei e igualmente sinto, que ele está muito melhor do que nós que estamos aqui. Ainda precisamos cumprir nossas missões nessa terra. E que sorte nossa que tivemos Rica aqui! Quem dera tivéssemos sabedoria suficiente e humildade no coração para aproveitarmos as lições que ele ainda nos dá, todos os dias!!! Que nossas dores e tristezas não nos impeçam do aprendizado que dispomos. 
Que o Natal de todos que nos acompanharam e nos acompanha seja de muita luz, de muita fé e de não deixarmos passar a oportunidade de ajudar a quem necessita de algo nosso... Seja essa ajuda uma palavra, um gesto, uma ajuda material, uma atitude, um sorriso, uma prece... Sempre é possível fazer algo por alguém... De quem foi essa lição?! rs.
Essa foto foi feita há uns três, quatro anos, não lembro a data exata. Serginho e Ricardo comemorando os trinta anos de casados de Bastinho e Lourdes... Foi uma data muito, muito festejada e celebrada por todos nós. A felicidade captada na cena era também a felicidade de toda a família e dos amigos... 

 


Essa outra foto é deles, Dani e Rica, em dezembro de 2011, quando estavam, juntamente com Serginho e Izayne, fazendo exames em Porto Alegre e aproveitaram e foram até Gramado. 





Pedi muito a Dani pra escrever hoje aqui. Quase fiz chantagem... rsrs. Afinal, estamos com muita saudade dela escrevendo aqui, da sua sensibilidade, das suas palavras sempre tão boas de ler.. Mas ela não cedeu, rs. Entendo que ela esteja achando que não tem muito o que dizer. Ela acha que não, mas sei que tem sim...
Vamos fazer uma campanha? "VOLTA PRO BLOG, DANI!!!" rsrs
Sinto-me muito honrada em escrever aqui. Agradeço a confiança, a generosidade e a liberdade de poder falar o que sinto e penso.
Mas sinto saudade de vc aqui, viu Dani?...
Um beijo grande a todos, um Natal de paz e luz pra cada um que lê, comenta, acompanha nossa história por aqui...
Ricardinho, esses dias estou em Natal, na sua casa, trabalhando, e sua presença tá muito, muito forte! Uma vontade de um abraço que me corta a alma... Quem me dera sonhar com você hoje, ou amanhã... Matar essa saudade... Bjo de luz pra vc, filhote!!!